Muitas pessoas fazem parte de um grupo que deseja vivenciar o projeto de Jesus por inteiro, mas alguma condição da vida os impedem. É o caso das pessoas que vivem em segunda união, mas gostariam de comungar e vivenciar esse encontro com Deus.

Para sentimentos ruins e negativos, que nos destroem por dentro, só há um remédio, a oração, coração aberto para Deus e muita humildade.

O perdão é imprescindível para manter a paz com o grupo e consigo. Mas perdoar não é esquecer os erros do outro ou apagar da memória os fatos, pois não é possível apagar da memória a história.

Deus é o grande semeador de sonhos, quando esses sonhos são saudáveis, uma forma de tentar ser melhor e melhorar a vida dos outros, então estes sonhos foram plantados por Deus.

A Igreja Católica, fiel depositária dos ensinamentos de Jesus Cristo, convida a todos os seus membros a buscarem a reconciliação com Deus e com a própria Igreja.

Quando o casal vai diante do altar para selar o seu compromisso na presença de Deus, do ministro assistente e da Igreja, supõe-se que já fez uma caminhada de conhecimento mútuo e de consentimento esclarecido.

Para quem está há muito tempo sem se confessar o velho e conhecido ditado popular “antes tarde do que nunca” responde bem essa questão sobre o Sacramento da Reconciliação.

Fazer uma tatuagem é marcar no corpo uma imagem que ficará permanentemente. Então é contra a lei de Deus? Sim ou não? Depende. Depende de quê?

Os Sacramentos, que foram instituídos por Cristo e confiados à Igreja, são sinais e meios para que a fé seja fortalecida, para que se preste culto a Deus e para que os seres humanos sejam santificados.

“Mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal. Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus”. (Tg 3, 8-9).

A fé deve ser cultivada a cada dia. A participação na missa, nas atividades da comunidade, as orações pessoais, a leitura bíblica, o sacramento da penitência e algum trabalho de ajuda a pessoas necessitadas são algumas atitudes que ajudarão no cultivo da sua fé.

O Purgatório, como o nome mesmo diz, é um momento pós-morte em que Deus oferece ao homem/mulher a possibilidade de reencontrar o amor verdadeiro NELE, completando assim o ciclo da vida que é cumprir a vontade plena de Deus.

Quando uma criança vai ser batizada na Igreja, os pais escolhem pessoas idôneas, que têm laços fortes de confiança com a família, para serem padrinhos e madrinhas deste catecúmeno.

O folheto na missa é utilizado por uma questão de praticidade. Nele, além de constar os textos bíblicos, há também todo o rito adaptado para aquela celebração específica.

O celibato na Igreja está ligado teologicamente ao entregar-se de forma sublime ao Cristo, unindo-se a Ele sem reservas, doando todo o tempo, as energias, a inteligência e o próprio ser pela causa do Reino de Deus.

Quando em nossa casa alguém muda de religião ou até mesmo se define como agnóstico ou ateu, pode causar certo desconforto.
O que fazer?

A Quaresma é um Tempo Litúrgico que está dentro do grande Ciclo Pascal. Inicia-se com a Quarta-Feira de Cinzas e se prolonga até a Quinta-Feira Santa, na Missa da Santa Ceia (exclusive), ou seja, essa Missa Vespertina já não faz parte da Quaresma, mas sim do Tríduo Pascal.

A avaliação sobre a sua falta à missa do domingo é uma reflexão pessoal, se o motivo da falta é algo sério, como doença, um problema que impediu a participação na celebração, isso não é pecado.

Paróquia Sant'Ana de Itaúna

Praça Dr. Augusto Gonçalves, 344 - Centro
CEP.: 35.680-054 ITAÚNA-MG
Telefone: (37) 3242-3641
E-mail: contato@paroquiadesantana.com.br

Expediente Paroquial

Atendimento da Secretaria:
De Segunda-feira a Sexta-feira de 7:30h às 17h30

Atendimento dos Padres:
De Terça-feira a Quinta-feira: 8h30 às 10h | 14h às 16h