pe guilherme machado

Comentário ao Evangelho do 1o Domingo do Advento 28/11/2021 (Lc 21,25-28.34-36)

feito por Padre Guilherme* 

 

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 25“Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra, as nações ficarão angustiadas, com pavor do barulho do mar e das ondas. 26Os homens vão desmaiar de medo, só em pensar no que vai acontecer ao mundo, porque as forças do céu serão abaladas. 27Então eles verão o Filho do Homem, vindo numa nuvem com grande poder e glória. 28Quando estas coisas começarem a acontecer, levantai-vos e erguei a cabeça, porque a vossa libertação está próxima. 34Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós; 35pois esse dia cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra. 36Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho do Homem. 

Ao falar sobre o final dos tempos, Jesus menciona sinais perceptíveis na natureza, a ocorrência de um julgamento e a libertação dos limites desta vida com o estabelecimento de um tempo novo. Também deixa claro sobre a incerteza de quando tais eventos se realizarão.

A simples observação da dinâmica da natureza nos leva a entender que a vida caminha para o fim. A demora da chegada deste fim pode ser compreendida como fruto da misericórdia divina, que dá oportunidade para conversão, ainda que nem sempre o ser humano faça por merecer.

As preocupações da vida, algumas bem ligadas a necessidades corporais, podem tornar o coração humano insensível aos sinais. E a imprevisibilidade de quando será o fim é incentivo para a conversão.

__________________ 

*Padre Guilherme da Silveira Machado é administrador paroquial na Paróquia de São Sebastião, em Leandro Ferreira.